Posts

O termo Business Intelligence muitas vezes é associado a uma ferramenta restrita para grandes empresas, inacessível, portanto, a médios e pequenos empreendedores. Embora seja de fato um instrumento sofisticado, a introdução de BI está cada vez mais ao alcance dos mais variados segmentos e de distintos portes empresariais.

O resultado para quem o aplica não poderia ser melhor: otimização de recursos e identificação de excelentes oportunidades de negócios. Neste post, você vai entender que o conceito e a aplicação de Business Intelligence são bem menos complexos do que você imagina. Boa leitura!

O que é Business Intelligence?

Business Intelligence — também conhecida pela sigla BI — significa inteligência de negócios. Trata-se dos processos que reúnem, organizam, analisam, monitoram e compartilham grandes volumes de informações que fornecem uma base para a tomada de decisões da empresa.

As fontes de análises desses dados podem ser as mais variadas. A coleta inicia no conjunto de informações abrigadas pela própria organização e avança para números da indústria, para as características dos clientes, as tendências culturais e as pressões competitivas.

Assim, o BI pode servir para que a organização busque novas oportunidades de negócios, bata metas, aumente o faturamento e conheça de forma mais profunda o cliente, entre tantas utilidades.

O que uma ferramenta de BI oferece?

Uma ferramenta de Business Intelligence oferece à empresa análise rápida de uma vasta gama de informações complexas que, aparentemente, poderiam não ter relação uma com a outra.

Por exemplo: imagine uma cadeia de supermercados e a quantidade de informação produzida a cada minuto por essa rede. O entrelaçamento desses dados indica a relação entre produtos vendidos e, assim, contribui para que o gerente da loja planeje a melhor disposição dos produtos nas gôndolas. Isso é possível por meio de um software de BI.

Ou um fabricante de refrigerantes que deseja ganhar novos mercados. Com a ferramenta, a partir do cruzamento de informações de venda, estoque, logística e de outros dados relevantes é possível identificar, por exemplo, que uma área está vendendo menos por problemas de abastecimento.

Dessa forma, o administrador poderá agir para solucionar a dificuldade e potenciar os ganhos da empresa.

Quais as vantagens para a empresa?

Uma empresa que introduz em seu dia a dia um software de Business Intelligence consegue avançar em diversos pontos da sua administração. Confira:

Melhora a gestão empresarial

Ao disponibilizar dados e análises de maneira simples e de fácil compreensão, a ferramenta de BI possibilita que o gestor tenha em suas mãos informações confiáveis para a tomada de decisão. Essa agilidade permite ajustes imediatos quando algo estiver errado.

Dá suporte a decisões estratégicas

Estratégias de crescimento ruins podem iniciar em falta de informações ou em dados equivocados. Com um software de Business Intelligence, a confiabilidade das informações é alta e o administrador poderá decidir a partir de um panorama completo do negócio. O monitoramento da estratégia também é simplificado.

Aprimora o controle do estoque

Muitas empresas perdem ou deixam de ganhar dinheiro devido à falta de controle de estoque. Uma ferramenta de BI permite observar com precisão a quantidade de mercadorias armazenadas. Assim, é possível saber o que está em excesso e o que está em escassez. Esses dados podem motivar a alteração de processos e o corte de despesas desnecessárias.

O Business Intelligence, quando bem aplicado, traz melhorias para diversas áreas da empresa. A ferramenta pode ser decisiva para cortar despesas e tornar o negócio muito mais competitivo.

Já imaginou como uma ferramenta de Business Intelligence pode melhorar os processos na sua atividade? Entre em contato com a Trinity! Temos a solução que vai se ajustar direitinho à realidade do seu negócio.

A gestão de uma empresa exige acompanhamento constante. Não basta implantar processos e recrutar profissionais: é preciso efetivar rotinas de alta performance e empreender uma análise de resultados, assegurando que o desempenho do negócio seja cada vez mais positivo.

Nesse aspecto, também é preciso ficar atento à regularidade das avaliações. Em um mercado altamente volátil, no qual a concorrência é acirrada e existe a necessidade de fortalecer diferenciais, o dinamismo das operações requer constância no monitoramento — e esse cenário é ainda mais evidente nas transações B2B.

Neste post, você vai entender por que aguardar o fim do mês para calcular os resultados da empresa é um erro perigoso. Além disso, também vai conhecer algumas soluções para facilitar o acompanhamento de indicadores, uma tarefa essencial à saúde e à perenidade do negócio.

Boa leitura e bons negócios!

Qual é a importância da assiduidade na análise de resultados?

Para que sejam eficazes e produtivas, as rotinas empresariais precisam ser padronizadas e, sempre que possível, automatizadas. Somente ao viabilizar um alicerce consistente, sobre o qual são construídas e replicadas todas as operações do negócio, é possível desenvolver e alavancar os resultados da organização.

Os resultados, por sua vez, são o reflexo direto da eficácia gerencial, evidenciando as potencialidades e as fragilidades da operação. E se cada dia é igualmente importante para compor o desempenho geral da empresa, por que esperar até o fim do mês para esmiuçar os êxitos e os insucessos de cada departamento ou área?

Quando regular, a análise de resultados — diária, semanal ou quinzenal, a depender do indicador que está sob avaliação — favorece e endossa o desenvolvimento do negócio, uma vez que aproxima o gestor do cotidiano produtivo.

Na atuação B2B, a análise assídua dos indicadores se faz ainda mais necessária; afinal, a venda geralmente tem um caráter fortemente técnico e consultivo, e o acompanhamento das métricas-chave é fundamental à assertividade nas negociações.

Como acompanhar os resultados com mais frequência?

O monitoramento gerencial é imprescindível, mas é importante reforçar que a frequência da análise é tão importante quanto a metodologia aplicada na avaliação.

Dessa forma, não seria equivocado afirmar que, ao dispor das ferramentas adequadas, o gestor alarga sua capacidade de extrair o máximo potencial das operações cotidianas, assegurando resultados mais consistentes e significativos.

As soluções de BI (Business Intelligence), por exemplo, são ideais para proporcionar uma visão ampla e transparente do negócio. A partir da centralização e do cruzamento de dados, a inteligência contribui para a geração de insights sobre as operações, identificando vulnerabilidades e oportunidades.

Ao contar com recursos tecnológicos de gestão, tais como o BI, o líder tem mais segurança para tomar as decisões estratégicas e atua proativamente no fortalecimento das vantagens competitivas do negócio — que, por sua vez, são nutridas a cada dia, e, por isso, também devem ser continuamente monitoradas.

Quais são os benefícios da análise recorrente de resultados?

Reforçada a importância da análise regular de resultados, desfazendo a ideia de que um monitoramento de periodicidade mensal é o mais adequado ao negócio, e indicada a solução tecnológica pertinente ao acompanhamento estratégico das operações, é importante elencar quais são os principais benefícios dessa prática, principalmente no segmento B2B.

Dentre as vantagens de empreender avaliações constantes — com regularidade quinzenal, semanal ou mesmo diária —, despontam, por exemplo:

  • a capacidade de ajustar procedimentos desarmônicos, que podem causar sérios prejuízos e comprometer a concretização de vendas;
  • a otimização de recursos, uma vez que é possível decidir a alocação de investimentos com mais segurança e propriedade, assegurando a viabilidade de estratégias e táticas;
  • o fortalecimento da vantagem competitiva do negócio, endossando diferenciais relevantes à atividade B2B, tais como autoridade, confiabilidade e perícia técnica.

Nesse âmbito, portanto, a análise de resultados figura como uma atividade determinante ao crescimento e ao sucesso do negócio — devendo ser entendida como um processo continuo, e não como uma obrigação pontual ao fim do mês.

Se o conteúdo despertou seu interesse, que tal ficar sempre por dentro das últimas atualizações sobre o tema? Assine a nossa newsletter e receba as novidades!

Boa parte das empresas subutiliza estrategicamente os dados e as informações transacionais e de relacionamento com os seus clientes. Perde-se muito tempo para extrair e consolidar estes dados, e pouco tempo resta para analisá-los. Com ferramentas de Business Intelligence seu negócio ganha produtividade, agilidade e credibilidade. Quer saber como? Acompanhe.

O Business Intelligence (BI) ajuda a extrair fatos cruciais a partir de grandes quantidades de dados estruturados ou não, transformando-os em informações acionáveis que influenciam a tomada de decisões em uma empresa. Com isso, eles contribuem para a otimização da eficiência operacional e para o aumento da produtividade.

Os dados trabalhados pelo BI se referem ao comportamento do cliente, suas preferências, experiências de compras, comportamento on-line, entre outros. Eles permanecem, ainda hoje, sendo amplamente subutilizados na maior parte das empresas, mas as aplicações do Business Intelligence surgiram justamente para virar esse jogo.

Neste artigo, vamos abordar alguns elementos fundamentais que mostram como isso é possível. Boa leitura!

O que significa Business Intelligence para empresas?

Utilizar BI significa coletar e, acima de tudo, analisar dados com o objetivo de fazer o negócio crescer. No entanto, muitas empresas ainda têm dificuldades para colocar isso em prática. Mesmo que os dados existam, eles nem sempre estão visíveis no momento em que são necessários. Outras vezes, ninguém consegue garantir que eles são confiáveis.

Nesse contexto, os softwares de Business Intelligence para empresas podem ser grandes aliados para transformar dados em algo palpável. Uma informação só tem valor se ela puder ser utilizada e, por isso, praticar o BI é importante.

Mais do que adquirir uma ferramenta, seu negócio precisará entender a importância dos números e do esforço conjunto das áreas para gerar dados confiáveis. De qualquer maneira, com 60% das empresas planejando investir mais em BI, essa é uma tendência que não pode ser ignorada.

Como funciona o cruzamento de dados de diferentes fontes?

Relatórios baseados em informações precisas e oportunas ajudam a empresa a mensurar o desempenho de seus processos. Com uma ferramenta de Business Intelligence, é possível cruzar todo e qualquer dado que seja interessante em determinado momento, como:

  • desempenho atual e histórico da empresa;
  • tendências futuras;
  • demandas esperadas;
  • previsibilidade de vendas;
  • comportamento dos clientes, entre outros.

É inegável que as empresas têm cada vez mais dados à sua disposição, mas também é verdade que quando eles não estão organizados e acessíveis, podem atrapalhar mais do que ajudar. Em vez de ter que usar diversas planilhas e softwares, uma ferramenta de BI consegue concentrar e alinhar todos os dados, gerando relatórios concisos e fáceis de serem lidos.

Tais relatórios podem ser acessados em tempo real pelos gestores e CEOs, que devem atuar para garantir que a empresa utilize eficientemente os insights disponíveis para aperfeiçoar o gerenciamento, a produtividade, a agilidade e a credibilidade da organização. Veja como:

Aumento de produtividade

As empresas podem centrar seus esforços no aumento da produtividade ao utilizar Business Intelligence, pois ele elimina a necessidade de deslocar profissionais de suas áreas de atuação para a coleta e a organização de informações.

Uma vez organizados os dados e informações, a empresa desfruta de vantagens, como a redução de custos operacionais, a economia de tempo e o acesso a relatórios eficientes. Como consequência, esse investimento aumenta a produtividade e a qualidade do trabalho desempenhado pelas demais equipes.

Por exemplo, se hoje em dia a sua equipe tem que gerenciar diversas planilhas ou gerar gráficos manualmente, vocês estão perdendo um tempo precioso. Se, toda vez que uma informação é demandada, seu pessoal precisa procurá-la em um emaranhado de números, a produtividade não é das mais altas.

Nesse caso, o investimento em uma ferramenta de Business Intelligence para a empresa pode ser justificado pelo aumento de produtividade gerado por ela. Seus dados serão facilmente encontrados em um só lugar.

Agilidade nas ações

O Business Intelligence pode armar a empresa com informações indispensáveis para atingir as metas gerais de negócio, orientando decisões estratégicas. Por exemplo, todas as interações com clientes podem ser analisadas minuciosamente, e em tempo real, para fundamentar ações destinadas a melhorar as taxas de conversão em vendas, gerando uma vantagem competitiva.

Os dados devem ser apresentados de uma maneira que seja fácil entendê-los, comunicá-los e executá-los. Dessa maneira, agilizam a realização de processos e possibilitam maior rapidez na tomada de decisões em uma empresa.

É claro que a experiência e o conhecimento dos gestores são fundamentais para a escolha das ações e do caminho a ser seguido. Em adição a essas habilidades, o BI proporciona uma visão aprofundada do negócio e do mercado, fazendo com que esses profissionais consigam acompanhar a velocidade das mudanças com facilidade. O trabalho deles passa a ser focado em analisar, em vez de ter que encontrar e processar dados.

Credibilidade garantida

Para ganhar a confiança dos colaboradores na tomada de decisões em uma empresa, o estabelecimento de uma gestão transparente é tão essencial quanto um bom histórico. Quanto mais amplamente as informações forem compartilhadas em todos os setores, mais fácil será para os colaboradores compreenderem e executarem as decisões e fornecerem um feedback crítico na linha de frente.

Além disso, precisamos falar sobre a importância de ter dados confiáveis para respaldar qualquer ação tomada. Em Business Intelligence, não apenas a quantidade de dados analisados conta, mas também a qualidade deles.

Por exemplo, se a sua equipe de vendas utilizar um relatório errôneo sobre as vendas passadas para planejar as vendas futuras, é bem provável que o plano não funcione. Quando você utiliza diversas informações soltas, as chances de erro se multiplicam.

Em contrapartida, utilizando ferramentas de BI conectadas aos seus demais sistemas, como a um software ERP, a confiabilidade dos dados é elevada consideravelmente.

Mais informações para tomada de decisões

O Business Intelligence influencia a tomada de decisões em todos os níveis. O setor de marketing se beneficia da análise de dados relativos às campanhas e ao rendimento de promoções e, a partir disso, pode ajustar seus gastos para obter maior ROI.

Para a equipe de vendas, o Business Intelligence orienta a busca por melhores práticas e estratégias, pelo custo e pela duração da aquisição de clientes, além da realização de análises periódicas do volume de vendas e da margem de contribuição, e do acompanhamento de metas.

O Business Intelligence pode contribuir, também, para que o departamento de atendimento ao cliente monitore, em tempo real, dados, como:

  • indicadores de desempenho dos diferentes canais (SAC, Fale Conosco, Redes Sociais, Chat);
  • taxa de abandono;
  • reclamações por produto;
  • solicitações por tipo de cliente;
  • tempo de resolução e tratativa das manifestações.

Nesse setor, a tomada de decisões precisa ser eficiente e tempestiva, devido às inúmeras implicações envolvidas, e uma ferramenta de Business Intelligence pode otimizar tudo isso.

Portanto, podemos afirmar que o Business Intelligence se trata não apenas de uma ferramenta ou software, mas de uma nova cultura para a empresa. Com ele, seus dados ficam organizados, suas ações são respaldadas por números, a produtividade aumenta, e toda a empresa ganha mais tempo.

Se você se interessou pelo assunto e está pensando em adquirir uma ferramenta de Business Intelligence para empresa, não deixe de conferir o nosso e-book e aprenda como escolher uma ferramenta de Business Intelligence!

Como saber se os resultados não vão indo bem por causa de uma má gestão? Descubra neste artigo 6 erros comuns em estão empresarial que precisam ser evitados.

Quando os negócios não vão indo muito bem a primeira coisa que devemos fazer é uma análise da gestão empresarial. Repensar estratégias e avaliar como algumas ações são conduzidas fazem parte desta avaliação.

Ações que envolvem planejamento, controle, estratégia, processos e resultados são essenciais na rotina financeira de qualquer empresa. No entanto, muitas vezes elas não atingem os objetivos desejados e comprometem os resultados financeiros. Por isso, se o desempenho não estiverem a contento, o melhor a fazer é identificar os erros e reformular os processos.

Foi pensando nesses equívocos que resolvemos listar 6 erros que devem ser evitados na gestão empresarial. Acompanhe:

1. Não considerar a gestão financeira no planejamento

Elaborar um plano onde serão definidas as diretrizes do negócio, como campanhas, metas, entre outras ações, geram custos para a empresa. De nada adianta ter excelentes ideias, investir seu tempo e depois concluir que não terá recursos para tocá-las adiante. Só existe planejamento verdadeiramente estratégico se ele andar lado a lado com a gestão financeira.

2. Não automatizar os processos

A princípio, a tendência é resistir a ele, mas com o tempo qualquer gestor sente falta de um bom software de gestão. A ferramenta auxilia todos os processos e permite o controle e monitoramento de cada operação realizada. Isso ajuda muito na administração da empresa e na percepção estratégica do negócio, melhorando a visão de erros e acertos.

3. Perder o controle do fluxo de caixa

O fluxo de caixa é um instrumento essencial para a gestão de negócios, pois projeta as entradas e saídas de recursos financeiros da empresa e mantém tudo sob controle. Uma vez que seu uso é negligenciado, pode haver desequilíbrio na saúde financeira da empresa e culminar em prejuízos.

Toda movimentação deve ser controlada. Por meio do fluxo de caixa é possível calcular a rentabilidade, a lucratividade, o ponto de equilíbrio e o prazo de retorno do investimento, tornando-se bem mais fácil acompanhar e saber as possibilidades reais de sucesso dos investimentos.

4. Ignorar a concorrência

Não é bom para qualquer empresa que deseja sucesso no mercado ignorar a concorrência. Isso vale, em especial para aqueles empreendedores que apresentam seus planos de negócios para investidores e caem no erro de esconderem a existência de fortes concorrentes.

Eles, na verdade, saem desacreditados do negócio, tendo em vista que a maioria dos investidores conhece muito bem o setor e acabam descobrindo as informações omitidas.

5. Não pensar em resultados a médio e longo prazo

Algumas ações precipitadas na gestão, como mudar estratégias a todo instante, podem colocar em risco a saúde financeira da empresa. Essas estratégias que, à primeira vista, podem parecer uma boa alternativa, na verdade podem comprometer todo o potencial da empresa e causar prejuízos.

Tenha em mente que bons resultados não surgem da noite para o dia; boas estratégias precisam de um tempo para surtirem efeito. A dica é sempre pensar em soluções para médio e longo prazo. Analisar as tendências do setor — pensando na frente — é também uma boa dica para criar boas estratégias e evitar erros de gestão empresarial.

6. Não mensurar resultados

O uso de indicadores é cada vez mais importante na gestão financeira e operacional de qualquer empresa. Medir resultados para saber se as metas estão sendo atingidas e tomar decisões com base nas análises são vantagens competitivas que devem ser consideradas.

É por meio destes indicadores que se acompanha o fluxo de caixa, o percentual de atingimento das metas de vendas, as margem de contribuição do portfólio de produtos, a melhora ou piora em relação às operações. Empresários que não contam com um painel de indicadores (dashboards) ficam, muitas vezes, sem parâmetros, navegando às cegas pelo mercado.

Quer saber como extrair dados da sua empresa e informações necessárias para alavancar seus negócios? Leio o artigo Análise estatística de dados: por que sua empresa precisa se preocupar com isso?