Posts

Quando o assunto é a gestão do relacionamento com clientes é preciso considerar que, além de uma estratégia clara e objetivos bem definidos para captação, conversão, fidelização, rentabilização e retenção de clientes, algumas mudanças organizacionais são necessárias para garantir o sucesso das ações.

A metodologia IDIP, aliada ao CRM, pode ajudar e muito nesse aspecto. Criada por Don Pepper e Martha Rogers, a metodologia IDIP é composta por quatro etapas que configuram a boa gestão do relacionamento com clientes: identificação, diferenciação, interação e personalização. Ao aplicar estas etapas no CRM, as ações de relacionamento tornam-se mais objetivas e os processos mais simples e eficazes.

Neste artigo, explicaremos como aplicar as 4 etapas da metodologia IDIP na sua ferramenta de CRM. Se tem interesse neste assunto, continue a leitura e confira!

Etapa da identificação

É na fase de identificação que se deve efetuar o levantamento completo da base de clientes. O CRM é uma ferramenta bastante estratégica nesse caso, pois ele apresenta uma maior eficiência na coleta das informações.

Com a ajuda do CRM, é possível captar e registrar mais informações a cada interação. Usando a ferramenta de forma colaborativa, os elementos críticos de dados dos clientes podem ser coletados por todas as áreas que se relacionam direta ou indiretamente com eles.

O processo de coleta das informações e dados dos clientes precisa ser baseado na estratégia de CRM. Em outras palavras, apenas possuir o registro de todos os clientes não é o bastante, é fundamental prestar atenção à maneira com que essas informações serão aplicadas.

Etapa da diferenciação

Uma vez mapeados todos os clientes e seus respectivos atributos, é chegada a hora da fase da diferenciação. Nesse cenário, a primeira coisa que deve ser feita é a clusterização, ou seja, o agrupamento de clientes com perfis e comportamentos semelhantes. Uma vez agrupados deve-se analisar o potencial dos clientes e o seu valor efetivo, real.

A partir deste estudo, deve-se definir as abordagens mais adequadas para cada tipo de clientes e as condições para a ampliação do ticket médio de produtos e serviços ou ampliação do seu Life Time Value, por exemplo.

O CRM viabiliza a diferenciação e segmentação dos clientes, pois permite o estabelecimento de critérios de modo bastante assertivo. Com o CRM, permite-se a projeção de clientes que possuem um potencial mais elevado de crescimento, dentro de um período bem delimitado, definido.

Etapa da interação

A utilização de softwares CRM aparece de forma interessante nessa etapa, pois eles permitem integrar diferentes canais de atendimento e manter o histórico de relacionamento com os clientes em um repositório único.

O CRM também possibilita uma melhor execução de campanhas de marketing e relacionamento dado que permite a automação de réguas de comunicação com o cliente, tornando a interação mais frequente nos momentos mais oportunos. Neste sentido, é fundamental mapear o ciclo de vida do cliente e estabelecer um plano de relacionamento para cada fase. O que queremos falar, para quem, em que momento e por qual canal?

E falando em canais, é fundamental que a sua empresa seja multicanal e cross canal, pois é isso que os clientes estão exigindo. As ferramentas de CRM são facilitadoras da implementação de estratégias de omnichannel, viabilizando a continuidade do diálogo com o cliente independentemente do canal por ele escolhido.

Etapa da personalização

Quando o atendimento tem um caráter de exclusividade, surge a chance de elevar as taxas de retenção e de efetuar cada vez mais a fidelização dos clientes. É preciso ser flexível e fornecer um treinamento apropriado aos colaboradores que estão sempre em contato com esse público.

Além disso, com o apoio de ferramentas de CRM, pode-se criar produtos mais voltados para as necessidades desse cliente, adaptando-o conforme o perfil que ele apresenta.

Diante da compreensão de como funciona cada uma das etapas da metodologia IDIP, a companhia terá maior capacidade de observar todos os momentos do processo de relação com o cliente. Cumprindo essas fases com maestria, com certeza a satisfação do público será garantida e suas chances de crescimento serão imensamente grandes e sólidas.

Gostou deste artigo e quer saber mais sobre as etapas e soluções propostas? Então entre em contato com a Trinity para mais informações. Com certeza podemos lhe ajudar nesse processo e sua empresa será capaz de conquistar resultados maiores e mais satisfatórios.

Não é incomum encontrar empresas que prestam atenção apenas ao processo de venda, mas se esquecem do momento do pós-venda. O marketing pós-venda é tão importante quanto as demais etapas de todo o processo. Ele nada mais é do que aquela interação efetuada depois de finalizada a aquisição. E isso pode se dar das mais variadas formas.

O marketing pós-venda é de suma relevância para a construção de um bom relacionamento da marca com o cliente, conseguindo dessa forma a fidelização e o aumento da possibilidade de compras futuras.

O objetivo deste artigo é mostrar a importância do marketing pós-vendas para o sucesso empresarial da marca. Para isso, apresentamos excelentes dicas de ações que podem ser implementadas para a fidelização e, sobretudo, a rentabilização do cliente.

Dicas de como fazer um bom marketing pós-vendas

Visto que o marketing pós-vendas é fundamental para a manutenção e rentabilização de clientes existentes e para o sucesso do negócio, forneceremos abaixo algumas dicas incríveis de como você pode fazer um bom marketing pós-vendas. Confira!

O poder do Welcome Contact

É bastante normal que uma parcela considerável dos novos clientes se arrependa após uma compra realizada, principalmente quando o produto ou serviço adquiridos são de alto valor. Quando eles são tomados por esses sentimentos negativos de insegurança ou arrependimento, eles podem pensar coisas como “Eu realmente precisava ter comprado esse produto?”, “Será que não tem nenhum produto mais barato no mercado?”.

É diante desse possível desconforto emocional, que a empresa deve agir. Entrar em contato com o cliente após uma compra, reforçando que esta foi a melhor escolha que ele poderia ter feito e colocar-se a disposição para quaisquer dúvidas faz com que o cliente sinta-se mais seguro e confortável em sua decisão. Neste contato de boas-vindas a empresa ainda pode aproveitar para confirmar os dados cadastrais do cliente e agendar um contato futuro para medir sua satisfação.

Aplique os conceitos de CRM

O CRM (Customer Relationship Management) é uma filosofia de negócio muito eficaz no que tange a construção de relacionamentos estratégicos com os clientes.

Por meio dos conceitos e abordagens de CRM, a companhia tem a capacidade e oportunidade de conhecer melhor o comportamento e as necessidades de seu público consumidor, estabelecendo e firmando um relacionamento de longo prazo entre o cliente e a instituição.

Além disso, as ferramenta de CRM permitem a criação e gestão de campanhas de marketing segmentadas e ainda, a automação de réguas de comunicação que fortalecem e estreitam o relacionamento com clientes.

Fortaleça os canais de relacionamento

Para auxiliar nas suas campanhas de marketing pós-venda, construindo e fortalecendo a relação da empresa com o cliente, é igualmente fundamental o desenvolvimento de canais de relacionamento eficientes. Essa estrutura é muito importante para servir de apoio ao estabelecimento dessa relação.

Ter um excelente serviço de atendimento, bem-estruturado, é importante para essa finalidade. Além disso, a companhia precisa marcar presença nos mais variados canais de comunicação, como e-mail, redes sociais, aplicativos, assegurando que o cliente consiga contatá-la mais facilmente e a fim de obter respostas às suas demandas de forma ágil e assertiva.

Desenvolva programas de fidelização

O programa de fidelização é uma forma da companhia valorizar os clientes mais antigos, aqueles que compram mais, não somente em volume, mas sobretudo com maior frequência. É a valorização da lealdade nessa relação. Como o cliente dá preferência para a empresa, ele merece algo a mais do que apenas descontos.

O marketing pós-vendas é um instrumento que garantirá que os clientes estarão satisfeitos não somente com o atendimento em si, mas com a aquisição e a empresa como um todo. Além de comprarem com maior assiduidade, também indicarão a companhia para outras pessoas.

Gostou do nosso artigo? Então, conheça também as respostas para as 5 principais perguntas sobre CRM de quem ainda não usa!

Serviço disponível 24 horas por dia, rápido e altamente resolutivo: essas são as condições que consumidores cada vez mais exigentes esperam da área de atendimento das empresas. Para se destacar nesse mercado, é preciso investir em tecnologias que facilitem os pontos de contato e fortaleçam a relação entre público e marca.

E como fazer isso? É preciso adotar os canais certos de comunicação. Neste post, explicamos como funcionam cinco ferramentas de atendimento ao cliente e de que forma elas podem contribuir para fazer uma empresa cativar a audiência. Boa leitura!

1. Customer Relationship Management (CRM)

CRM é, em português, a gestão de relacionamento com o cliente. Como o nome sugere, o conceito reúne as ferramentas e as estratégias aplicadas pela empresa para estreitar o vínculo com os consumidores.

Um software de CRM eficiente deve reunir o histórico das interações que o indivíduo teve com a marca. Assim, o programa consegue fornecer relatórios e indicadores importantes — como o índice de reabertura de chamados. Essas informações são fundamentais para embasar as decisões do responsável pelo setor.

2. Chatbots

Softwares programados para atender usuários sem interferência humana, os chatbots são cada vez mais utilizados pelas empresas. A ferramenta pode ser aplicada em sites, redes sociais ou ainda adaptada à unidade de resposta audível (URA).

Eles podem fazer desde atendimentos básicos até avançados. No primeiro caso, os robôs são programados a partir de cenários preestabelecidos. Situações que fujam a essa regra são remetidas ao apoio humano. Já no segundo, o sistema usa um algoritmo capaz de cruzar informações do banco de dados a fim de aperfeiçoar o suporte a cada nova interação.

3. Armazenamento em nuvem

A computação em nuvem tornou possível atualizar softwares de forma muito mais rápida e barata. Isso porque não é mais necessário que a empresa tenha uma infraestrutura própria para armazenar as informações.

Assim, o consumidor tem acesso a um serviço mais moderno e ágil. Sem ela, a adoção de novas tecnologias exigiria investimentos mais altos, o que prejudicaria o aperfeiçoamento das formas de atendimento ao cliente.

4. URA

Embora seja uma antiga conhecida na área de relacionamento com clientes, a URA ainda é uma ferramenta importante, que pode revolucionar a forma como a empresa auxilia os consumidores. Para isso, ela faz o atendimento automático por meio de um menu predefinido. Entre as vantagens da adoção desse sistema estão:

  • atendimento 24 horas;
  • diminuição do tempo médio de atendimento;
  • otimização da força de trabalho.

5. Business intelligence (BI)

Atualmente, com a quantidade de informações armazenadas pelas empresas, é preciso ter uma ferramenta que as analise em busca de padrões comportamentais. E é justamente essa a função de uma solução de BI. A partir do cruzamento com o banco de dados da empresa, a ferramenta transforma o conteúdo em indicadores e relatórios que podem servir de base para decisões estratégicas do gestor.

A escolha das soluções de atendimento ao cliente deve acontecer a partir da análise do comportamento do consumidor: o atendimento por chatbots, por exemplo, é ineficaz para quem não tem familiaridade com a internet. Nesses casos, usar a URA em apoio ao atendimento por telefone pode trazer resultados melhores. O importante é estar apto a resolver problemas e sanar dúvidas, para tornar o público fiel à marca.

Gostou de saber um pouco mais sobre as ferramentas de atendimento ao cliente? Então compartilhe este post nas suas redes sociais e contribua para que outros interessados conheçam mais sobre o assunto!

A organização de informações é uma parte essencial de um processo de vendas. Apesar disso, grande parte dos vendedores aposta apenas em suas habilidades e as mantêm em meios pouco confiáveis, como agendas e planilhas.

Para garantir essa organização, é preciso investir em um sistema de gestão de relacionamento com o cliente (Customer Relationship Management – CRM). O objetivo dessa ferramenta é manter o registro histórico de todas as interações entre a equipe de vendas e os clientes.

A utilização de um CRM pela área comercial busca aumentar as vendas da empresa, elevar o ticket médio, aumentar o lifetime value (LTV) e fidelizar a clientela. Neste post, abordamos os principais erros dos vendedores ao utilizar essa ferramenta e como eles afetam negativamente a empresa. Confira!

1. Não usar o CRM com frequência

É comum encontrar vendedores que não utilizam o sistema com frequência e deixam de registrar informações importantes obtidas em cada contato com o cliente. Essa falta de dados impossibilita a verificação do estágio da negociação e pode atrasar ou dificultar seu fechamento com o sucesso esperado.

Isso ocorre, principalmente, em equipes de vendas com grande aversão a tecnologia ou que não compreendem exatamente como a ferramenta pode melhorar seu desempenho e aumentar seus resultados.

Antes de implantar a solução, é preciso garantir que todos compreendam sua importância e tenham um treinamento específico para utilizá-la em sua totalidade.

2. Limitar-se ao agendamento de tarefas

Outro caso muito comum é encarar o sistema apenas como uma agenda, utilizando-o somente para marcar tarefas e compromissos. Quando isso ocorre, há um subaproveitamento do seu potencial, tornando-o um custo, não um investimento.

Oferecer um treinamento completo sobre todas as funcionalidades da ferramenta aos colaboradores é essencial para o sucesso da implantação. Além disso, as lideranças devem incentivar o uso da ferramenta afinal, toda mudança pode encontrar uma certa resistência, principalmente quando a equipe não enxerga o valor que a ferramenta pode agregar a seu trabalho.

Uma boa forma de incentivar o uso é adotando métricas de desempenho dos vendedores relacionadas ao uso e alimentação do sistema e criando campanhas de incentivo associadas a estes indicadores.

3. Não atualizar o funil de vendas

Deixar de atualizar as informações referentes a cada uma das negociações realizadas é um dos maiores erros dos vendedores ao trabalhar com um CRM para vendas. Para ter controle de cada etapa, é preciso atualizar o funil de vendas.

Informações como a abordagem utilizada, os produtos oferecidos, o estágio da jornada de compra e as oportunidades de venda devem ser atualizadas constantemente. Ao identificar que o cliente não está no momento de compra adequado, o vendedor pode encaminhá-lo ao setor de marketing para que seja feita a nutrição e, quando o cliente estiver pronto, o sistema devolverá o registro para a área de vendas.

Esse controle permite ao vendedor identificar quais clientes estão mais próximos de fechar uma venda para poder se dedicar a eles.

4. Não documentar e detalhar cada negociação

Todos os detalhes de uma negociação são de suma importância. Documentá-los em um sistema de CRM para vendas é primordial para ter um controle do desempenho da equipe de vendas.

Além dos contatos do cliente, é preciso registrar a forma de pagamento preferida, as necessidades do cliente e seu perfil de compra. Ter essas informações em seu CRM permite direcionar melhor a abordagem de vendas para torná-la mais assertiva.

Quer saber mais sobre como um CRM para vendas pode ajudar a sua empresa? Entre em contato com a gente e tire suas dúvidas!