Posts

Em um mercado cada vez mais exigente e concorrido, nada mais justo do que buscar se utilizar de diferentes ferramentas, técnicas e metodologias. Aprimorar seus atributos e práticas é fundamental para garantir e aumentar as vendas do negócio. Inteligência competitiva e vendas juntas fazem mágica.

A inteligência competitiva é um processo que envolve o levantamento e a análise de dados. Em virtude dessas operações, ocorre a geração de um conjunto de informações para facilitar o entendimento das condições de funcionamento do setor e de todos que trabalham nele.

Esse instrumento funciona a partir, do monitoramento dos processos internos e das ações da concorrência. Monitorar os concorrentes é essencial para desenvolver a inteligência competitiva na empresa. A razão por trás disso é que, dessa forma, é possível saber o que os demais players estão fazendo de bom e não tão bom assim, identificar oportunidades, promover transformações internas e obter uma vantagem diante do mercado.

Apresentamos, ao longo deste artigo, excelentes dicas a respeito da aplicação da inteligência competitiva nas vendas. Boa leitura!

Colete dados oriundos do mercado

A primeira e uma das etapas mais importantes nesse objetivo de aplicar a inteligência competitiva é a coleta de dados do mercado. Toda essa imensa base de dados pode e deve ser utilizada para realizar a identificação da concorrência e averiguar os seus possíveis atributos.

Esse conjunto de dados será extremamente útil, pois com ele será possível efetuar uma comparação ampla e complexa usando fontes de dados externas, sejam elas públicas ou não, tais como IBGE, CAGED, DCINFO para, dessa forma, ser capaz de identificar ameaças e oportunidades, assim como focar e destinar recursos para onde eles são de fato necessários.

Efetue um mapeamento completo da concorrência

Assim que tenha sido realizada uma abrangente coleta de dados, em etapa anterior, é a hora de se efetuar um mapeamento completo da concorrência. Com os dados obtidos, a empresa será capaz de fazer uma análise de onde a concorrência está situada e descobrir qual a região ou segmento onde existem mais oportunidades e potencial de venda.

É por intermédio dessa análise da concorrência que se pode compreender tudo aquilo que define o mercado, ou seja, suas características e comportamentos e conseguir ter ideias interessantes a respeito da estratégia dos concorrentes.

Faça um planejamento minucioso

Parte de inteligência competitiva aplicada às vendas está conectada com a aplicação de informações e elaboração de abordagens e estratégias. Sendo assim, elabore um planejamento bem detalhado, definindo e descrevendo cada uma das etapas do processo de vendas, desde o contato com os fornecedores até o momento do pós-vendas.

Utilize a tecnologia a seu favor

Use a tecnologia de automação a favor das suas vendas. Para facilitar a organização e dar mais praticidade às atividades, existem diversas ferramentas de CRM que podem ajudá-lo. Esses softwares podem ser usados tanto na etapa da coleta de dados, quanto na execução das ações cotidianas. Eles otimizam custos, tempo e elevam o desempenho.

Outra ferramenta essencial para a inteligência competitiva são os softwares de Business Intelligence, capazes de consolidar dados de diferentes fontes, realizar cruzamento entre estas base, gerar análises avançadas de negócios, mapear tendência e monitorar o desempenho das ações.

Inteligência competitiva e vendas devem caminhar em conjunto, se o desejo de crescimento e melhoria para a organização é genuíno. É a racionalização criativa do processo que trará melhores resultados.

Quer saber como transformar os dados em elementos inteligentes para a expansão dos negócios? Então leia esse nosso outro artigo sobre o assunto.

Para poder atuar com eficiência, a sua companhia depende da obtenção de informações confiáveis. Para tal finalidade, a inteligência competitiva e inteligência de mercado podem ser de grande auxílio e, dessa forma, viabilizar a conquista de melhores resultados.

Mas qual a diferença entre elas? É justamente o que explicaremos ao longo deste artigo, bem como a relevância de cada uma para o seu negócio.

As principais diferenças entre inteligência competitiva e inteligência de mercado

De modo geral, a inteligência de mercado está ligada à coleta e análise de dados para que seja possível um entendimento mais amplo do segmento de mercado o qual a sua organização faz parte. O objetivo é compreender o cliente e o comportamento de compra que ele apresenta. Ou seja, seu foco principal reside no cliente.

Por outro lado, a inteligência competitiva usa a coleta e subsequente análise dos dados para poder entender melhor como funciona a concorrência e quais as condições em que ela se encontra.

Continuando a falar de inteligência competitiva, vale informar que ela age com dados relacionados às estratégias e técnicas de empresas que fazem parte da concorrência, assim como as suas respectivas porcentagens de participação no mercado, qualidades, pontos fracos e o tamanho do impacto que podem exercer sobre o seu negócio.

Tendo em vista que a inteligência de mercado está focada no cliente, é muito comum o uso de análises de estatísticas sociais e econômicas. Um exemplo prático disso: consideração de dados demográficos, populacionais, demandas, entre muitos outros.

Elas detêm focos diferentes um do outro, e a maneira de aplicar os planos e estratégias também se altera. É com a ajuda da inteligência de mercado que você é capaz de levantar informações que possibilitam a sua empresa elaborar novos produtos e serviços, aprimorando aqueles que já estão presentes no seu catálogo para conquistar novos clientes e os fidelizar.

Já no que se refere à inteligência competitiva, é plenamente viável a construção de variadas estratégias para poder sair à frente da concorrência, elaborando formas bastante específicas para se destacar, a fim de conseguir uma posição mais privilegiada no mercado.

Relação entre inteligência competitiva e inteligência de mercado

A inteligência competitiva e inteligência de mercado possuem focos distintos, de maneira que não deve haver confusão entre elas durante o processo de desenvolvimento do planejamento estratégico de sua companhia e na gestão como um todo.

Porém, a intenção de ambas é diminuir ao máximo os riscos do negócio e obter uma elevação no desempenho geral da companhia, com um aumento expressivo dos lucros e receitas.

Esses dois tipos de inteligência podem ter ações complementares. É possível que, por exemplo, uma parcela dos clientes opte pela concorrência por uma série de motivos.

Nesse caso, você pode usar a inteligência de mercado para compreender os motivos que levaram o cliente a fazer essa escolha. Já a inteligência competitiva pode ser usada para estudar o que a concorrência fez para obter esse resultado e o que você pode apreender disso para reverter a situação a seu favor.

A importância de ambas para o seu negócio

A importância da inteligência competitiva e inteligência de mercado é que, com a ajuda delas, você pode aprimorar os resultados do seu negócio, elevando o índice de vendas e dando mais base para fundamentar as suas ações de marketing por meio do desenvolvimento de estratégias e elaboração de planos.

Gostou do post? Então, assine a nossa newsletter e se mantenha bem informado sobre conteúdos úteis para a sua empresa!

Quanto das análises de dados na sua empresa são, de fato, transformadas em inteligência competitiva? Com alguns cuidados e técnicas específicas é possível transformar estas análises em informações estratégicas que suportam a tomada de decisões.

Empresas que não fazem análise de dados abrem mão de uma etapa fundamental para gerar conhecimento e inteligência competitiva.

Mas nem tudo está perdido! Neste artigo, mostraremos os passos para transformar dados em inteligência, com foco no crescimento do negócio. Além disso, abordaremos como o BI pode ajudar nesse processo e qualificar a gestão da empresa.

Quer obter insumos relevantes para a tomada de decisão? Então, siga com a leitura!

Busque insights antes dos concorrentes

Para que as estatísticas sejam relevantes, é essencial interpretar o contexto dos dados. Ou seja: de nada adiantam dados isolados do negócio, uma vez que fatalmente serão difíceis de ser relacionados.

Nesse sentido, é importante considerar que a qualidade das informações só será significativa e visível quando forem analisadas em conjunto com outros dados relacionados entre si.

Ao reunir grande quantidade de estatísticas, a empresa consegue direcionar o foco de seus processos para a geração de insights e obtenção de conclusões com maior eficiência. Assim, o que resulta dessa agilidade é maior produtividade e competitividade frente aos concorrentes.

Transforme as estatísticas em informações gerenciais

De fato, as estatísticas de uma empresa são muitas. Elas apresentam informações de produtos, clientes, concorrentes, dados de mercado, entre tantas outras. No entanto, o gestor precisa ter em mente que elas são fundamentais para a empresa pensar de forma estratégica, por isso não podem ser negligenciadas.

Nesse sentido, a análise é extremamente importante, pois é nessa etapa que os dados e as estatísticas são transformados em inteligência e informações gerenciais.

Tenha habilidade para transformar dados em inteligência

Quando falamos em habilidade, precisamos destacar algumas boas práticas que ajudam o gestor a conseguir transformar dados em inteligência para a tomada de decisão. Veja quais são:

defina o objetivo final: trace com clareza os resultados que precisam ser atingidos. Na sequência, estipule e alinhe com toda a equipe as próximas metas da empresa;
identifique os comportamentos que favorecem os resultados: analise quais atividades impactam no resultado esperado;
defina as fontes de dados para análise: identifique quais são os dados relevantes que precisam ser mensurados e mapeados;
utilize métricas: por fim, a performance deve ser acompanhada pelas métricas, que podem ser disponibilizadas em um dashboard para facilitar o acesso de todos na empresa.

Use os dados para guiar as decisões

Agora que os dados foram transformados em inteligência e informações gerenciais, será mais fácil compreender o movimento do mercado para apoiar a tomada de decisão.

Mas é claro que, para chegar nesse ponto, o gestor precisa compreender que a análise é muito importante — e isso não é um processo tão simples, principalmente quando feito de forma rudimentar.

A boa notícia é que o BI (Business Intelligence) pode auxiliar na gestão dos dados.

Utilize o BI para ajudar nesse processo

Genericamente, o BI é um processo de coleta, organização, análise e monitoramento de dados.

A metodologia estruturada e as tecnologias utilizadas transformam um grande volume de dados brutos em informação relevante para as tomadas de decisões estratégicas.

Assim, a empresa ganha um importante suporte para a gestão do negócio.

Gostou deste artigo? Entendeu como transformar dados em inteligência para o crescimento da sua empresa? Então baixe o nosso e-book que mostra como escolher uma ferramenta de BI!

Saber utilizar as informações do mercado, entender a complexidade do ambiente externo e compreender as ações da concorrência são base para desenvolvimento da inteligência competitiva. Mas por quê e como utilizá-la? Descubra neste artigo.

Se você conhece relativamente bem a sua empresa, mas sabe pouco do seu concorrente, fatalmente perderá essa batalha. De fato, compreender o mercado como um todo é um fator decisivo para o sucesso.

Logo, a análise dos dados e a sabedoria empresarial são fundamentais para vencer a competição, antecipar os riscos e aproveitar as oportunidades. Mas você sabe como fazer isso corretamente?

A boa notícia é que a Inteligência Competitiva é uma aliada nesse processo e pode apoiar as tomadas de decisão. Por isso, neste artigo, separamos 5 motivos para você desenvolvê-la em seu negócio.

Curioso? Então siga com a leitura!
Afinal, o que é Inteligência Competitiva?

A Inteligência Competitiva — também chamada de Inteligência de Mercado — é, a grosso modo, um processo que utiliza a informação de maneira proativa com foco a conduzir uma melhor tomada de decisão — tanto operacional, quanto estratégica.

Mas calma! A Inteligência Competitiva não é uma espécie de espionagem ou um processo restrito a órgãos governamentais. Ela utiliza formas legais de obter informações e pode ser utilizada desde microempresas até grandes corporações.

Quer conhecer os principais motivos para desenvolver a Inteligência Competitiva nos negócios? Então, vamos a eles!

1. Tenha conhecimento do mercado

De fato, o mercado está em constante mutação. Todos os dias, diversos conteúdos são publicados e novos produtos são lançados.

Acompanhar todo esse fluxo de informação por meio da Inteligência Competitiva é uma forma eficaz de monitorar continuamente o mercado e, dessa forma, manter a empresa atualizada e preparada para ser mais ativa e menos reativa em suas estratégias.

2. Analise os seus concorrentes

Quando uma empresa conhece bem a sua concorrência, ela saberá como se posicionar no mercado para aproveitar as oportunidades. Além disso, ela não será surpreendida por novas estratégias da concorrência.

Nesse aspecto, a Inteligência Competitiva é extremamente importante para a captação de informações e melhor compreensão do comportamento do mercado.

Assim, a empresa saberá como antecipar-se aos riscos e oportunidades e ficará sempre um passo à frente dos concorrentes.

3. Desenvolva o planejamento do negócio

Obter informações relevantes é de suma importância para o planejamento. No entanto, neste aspecto a Inteligência Competitiva vai muito além da simples coleta de dados: ela trará aprendizado por meio das iniciativas, erros e acertos da própria empresa e da concorrência. Assim, a inovação é implantada com maior eficiência.

A maneira de chegar a esse objetivo é pelo conhecimento dos clientes e suas necessidades. Como sabemos, quando o consumidor tem os seus desejos supridos, ele se encanta — e a empresa consegue inovar com facilidade.

4. Realinhe e reverta a estratégia

A Inteligência Competitiva, de fato, auxilia nas operações e estratégias da empresa, além de apoiar o executivo responsável para que ele tome as decisões necessárias para evitar riscos e prejuízos.

Assim, estratégias que não apresentam resultados satisfatórios são realinhadas e revertidas para cumprir as metas da organização.

5. Faça coleta de dados

Por último, cabe reforçar: faça coleta de dados!

Tenha em mente que nós vivemos na Era da Conectividade. Isso possibilita que todos tenham acesso à diversos dados de mercado.

Entretanto, o que difere uma empresa pouco produtiva de uma vencedora é a capacidade de converter as informações em sabedoria corporativa. E isso pode ser alcançado por meio da Inteligência Competitiva.

Gostou deste artigo? Entendeu porque a Inteligência Competitiva deve ser desenvolvida em seus negócios? Então, continue lendo nosso blog e fique por dentro das principais inovações e tendências em Inteligência de Negócios.