Posts

As ferramenta de Business Intelligence ou soluções de BI emergiram das demandas que as empresas têm de extrair e consolidar informações dos sistemas operacionais, para auxílio à tomada de decisão por parte dos gestores.

De fato, as organizações armazenam um grande volume de dados, e os processos de extração, transformação, carga e análise de big data precisa ser seguro, ágil e eficiente.

Na maioria das corporações, fatores culturais são os principais obstáculos para a utilização de uma solução de BI. Assim sendo, vários gestores têm dúvidas sobre os aspectos que devem ser levados em consideração dentro da estratégia.

Por isso, neste artigo apresentaremos os principais fatores a serem considerados ao implementar uma solução de BI para gerar vantagens competitivas para a sua organização. Confira!

Total Cost of Ownership (TCO)

O conceito de Total Cost of Ownership (TCO) é uma maneira de quantificar os custos decorrentes da aquisição de um item, por exemplo, um sistema. Trata-se de uma saída para estimar financeiramente todos os custos (diretos e indiretos) envolvidos na compra de um software ou hardware para o empreendimento.

Nesse sentido, o principal objetivo do TCO é tentar identificar o impacto financeiro que a adoção da tecnologia causou para o negócio. Ao levar em conta todo o seu ciclo de vida — algo que envolve equipamentos utilizados, treinamento de usuário e sistema — determinar quantitativamente esse impacto requer que levemos em consideração fatores, como:

  • custos de licenciamento e aquisição
  • custo com contratação de profissionais ou fornecedores externos;
  • custos com manutenção ou suporte à solução

Habilidade e treinamento dos usuários

Pensar nas habilidades profissionais, especificar quem são os integrantes da equipe de implementação do projeto e treiná-los também são pontos muito importantes. Afinal, serão eles os responsáveis por acompanhar de perto todo o processo e validar as ações para garantir sua eficiência e os resultados esperados.

Entretanto, como uma solução de BI pode ser utilizada por diferentes setores da empresa, diferentes membros da organização precisam estar envolvidos, inclusive a diretoria. Somente assim será possível que todos tenham atenção às transformações nos processos e ao êxito do projeto.

Preparação dos dados

Os indicadores de gestão, ou dashboards, revelam informações provenientes de diferentes fontes de dados em componentes visuais que facilitam a compreensão e a tomada de decisões. Vale destacar que, para uma tomada de decisão acertada, os dados apresentados devem ser confiáveis e consistentes.

Assim sendo, a preparação dos dados é a primeira etapa a ser planejada em uma estratégia de BI. Para tanto, é fundamental utilizar ferramentas e técnicas adequadas no intuito de garantir a total integridade dos dados.

Integração de sistemas

Com tantas informações geradas constantemente nas empresas, é necessário encontrar uma solução capaz de integrar as variadas aplicações utilizadas. Porém, isso não mais significa ter uma fonte única de armazenamento. As modernas ferramentas de BI não necessitam mais disso.

Entretanto, o time responsável pelo projeto deve definir quais sistemas serão acessados, quais dados e a periodicidade de acesso (consumo) da informação, dessa forma, é possível assegurar a confidencialidade e integridade dos sistemas corporativos.

Restrição de criação e Limites de acesso

Após a execução dos aspectos anteriores, a equipe precisa estipular quem serão os usuários da solução de BI, por meio da restrição de criação e de limites de acesso. É também o momento em que será verificado se a implementação foi concluída com sucesso. Caso tudo tenha ocorrido conforme o planejado, ninguém encontrará obstáculos para utilizá-la.

Por fim, ressaltamos que a tecnologia é um instrumento importante em qualquer processo de reestruturação, e por meio dela é possível transformar os dados em informações estratégicas, viabilizando uma gestão eficiente e sustentável.

A implantação de uma solução de BI em uma empresa tem como objetivo principal fornecer aos seus líderes informações operacionais e gerenciais, de maneira consistente e rápida.

Após o cumprimento de todos os fatores para a adoção de uma solução de BI, a empresa terá em apenas um repositório, um conjunto de informações confiáveis e coesas que apoiam o processo de decisão, visto que os dados surgirão com o decorrer da atividade. O que faz a diferença é a forma como eles serão avaliados e transformados em ferramentas úteis para nortear o negócio.

Se você gostou deste artigo e quer que seus contatos também saibam o que considerar ao implementar uma solução de BI, compartilhe em suas redes sociais!

Realizar uma gestão eficiente de todas as informações digitais geradas por sua empresa é fundamental para conseguir elevar resultados, reduzir custos, fidelizar clientes e ter segurança de informação. Para isso, é preciso ter uma boa governança de dados.

Se você busca aprender mais sobre essa prática e compreender como ela influenciará os resultados de sua empresa, este artigo é para você. Pegue um café e boa leitura!

O que é a governança de dados?

A governança de dados é a gestão eficiente de todas as informações digitais geradas por uma empresa, resultantes dos processos e da interação com seus diversos públicos.

Manter essas informações de forma organizada, seguindo bons critérios de validação, é uma excelente maneira de extrair insights e possibilitar melhorias contínuas nos diversos âmbitos da empresa, desde a eliminação de custos desnecessários até a fidelização de clientes.

Para ter mais confiabilidade, muitas empresas têm utilizado soluções de BI (Business Intelligence) para coletar dados de sistemas como ERP ou CRM de maneira automática, evitando a manipulação por terceiros, otimizando tempo e eliminando o risco de erros por fatores humanos.

Quais os objetivos de gerenciar bem os dados?

Realizar uma boa governança de dados traz inúmeros benefícios. Conheça, agora, os objetivos principais que motivarão você a investir nessa estratégia!

Melhorar os processos de tomada de decisão

Decisões são parte da rotina de qualquer empresa, e elas devem ser tomadas sempre com base em dados concretos, fidedignos e avaliações criteriosas. Isso é possível por meio da governança de dados, uma vez que ela garante a atualização e confiabilidade das informações tornando os julgamentos para tomada de decisões mais seguros e assertivos.

Proteger as informações de vazamentos e uso indevido

Ao manter as informações devidamente organizadas, centralizadas e bem gerenciadas, o trabalho de proteção à informação se torna mais eficiente. Com isso, os riscos do vazamento de dados principalmente dados sensíveis e/ou estratégicos, no que diz respeito à relação com os investidores, são minimizados.

Tornar os processos mais eficientes

Você só pode melhorar o que consegue medir, certo? Apesar de suas variações, a essência dessa afirmação é um mantra para quem trabalha com a governança de dados. Ao analisar as informações coletadas e organizadas, é possível otimizar processos e eliminar gargalos, aumentando a produtividade.

Reduzir custos

Quando os processos se tornam mais eficientes, os desperdícios e custos de produção e operação são consequentemente reduzidos. Lembre-se de que, quanto menor for o custo, maior poderá ser a margem de lucro da empresa.

Exibir maior transparência

Com tudo organizado, as tomadas de decisões e a gestão de modo geral são muito mais transparentes, pois cada escolha é justificada com base em dados concretos.

Como implementar de forma eficiente a governança dos dados?

O primeiro passo é definir um “governador” que será responsável pelos diversos aspectos dos dados e que formará um conselho para formular as políticas e apresentar os progressos.

Em seguida, é preciso avaliar a situação atual da empresa. Afinal, não é possível definir um caminho se você não sabe onde está. Levantar as práticas atuais e os resultados obtidos é obrigatório nessa fase do processo.

Com a empresa devidamente situada, o conselho deverá elaborar estratégias e objetivos para determinar como serão tratadas as informações nos próximos anos, além de realizar um acompanhamento constante de todos os aspectos do negócio.

Depois de tudo pronto e organizado, é preciso utilizar as informações de maneira estratégica para garantir o crescimento da empresa. Se esse ponto não for observado, todo o processo perde seu sentido.

Monitorar todas as etapas da governança de dados é parte fundamental do processo, pois, assim como os demais processos de uma empresa, ela pode — e deve! — ser melhorada.

Agora que você já entendeu a importância da governança de dados para o sucesso de sua empresa, entre em contato conosco e descubra como podemos ajudá-lo!

Como fazer mais e melhor com menos pessoas? Um desafio comum enfrentado pelas empresas e gestores. Aqui você encontra algumas dicas, técnicas e ferramentas que ajudarão a manter a eficiência mesmo com uma equipe reduzida. Confira!

Para manter a eficiência com a equipe reduzida em ambientes de negócios cada vez mais competitivos, a sua empresa precisa implantar metodologias de gestão adequadas às características do seu negócio e alinhadas aos seus objetivos corporativos.

Cedo ou tarde, qualquer empresa que não operar eficientemente estará fora dos negócios. Como gestor, você deve garantir que isso não aconteça, mantendo-se vigilante e atento aos conjuntos de procedimentos realizados em sua empresa.

Elaboramos este artigo para ajudá-lo nessa tarefa tão importante. Boa leitura!

Gerencie o seu pipeline de vendas para manter a eficiência com a equipe reduzida

Você deve utilizar o pipeline de vendas para quantificar a demanda por seus produtos e/ou serviços.

Independentemente da sua área de atuação, gerenciar efetivamente o seu pipeline de vendas lhe permitirá analisar as demandas dos clientes e construir um ciclo de vendas estável, com resultados mais confiáveis.

Um pipeline de vendas funciona pela classificação de prospects nas diferentes fases do ciclo de vendas e, em seguida, pela medição do seu progresso pelo pipeline — de lead não qualificado para cliente fidelizado.

Gerenciar o pipeline de vendas, grosso modo, diz respeito a estimar o fluxo de caixa de entrada. Você deve analisar os seus leads e prospects, fazer algumas estimativas quanto à probabilidade de que se tornem clientes, alimentar essas informações junto à expectativa de investimento e, assim, identificar o nível estimado de receita.

Diferencie os seus clientes

Mesmo se você já opera com segmentação sofisticada de clientes, ainda há variações entre os clientes individuais. Reconhecer essas diferenças permitirá adaptar a sua abordagem às necessidades de diferentes perfis de clientes.

Além disso, será possível aumentar o alcance de suas ações de negócio para servir efetivamente a um grupo mais amplo. Entre as áreas beneficiadas, destacam-se:

marketing: entender as diferenças em sua base é fundamental para a criação de campanhas de marketing eficazes voltadas às necessidades individuais de diferentes clientes; além disso, os veículos usados para anunciar os seus produtos e/ou serviços também podem ser mais bem definidos;
vendas: ainda que você venda o mesmo produto a todos, as pessoas compram por diferentes razões; portanto, compreender essas razões é essencial para fechar mais vendas;
atendimento ao cliente: cada cliente específico requer diferentes tipos de serviços e, ao diferenciá-los, você terá condições de oferecer o atendimento mais adequado às suas necessidades individuais.

Considere implantar um sistema de CRM

A adoção de ferramentas de gestão de vendas, marketing e serviços garante mais velocidade e automação nos processos da sua empresa.

Utilizar um sistema de CRM manterá o seu negócio ágil e capaz de se adaptar às tendências, sempre em mutação, do mercado. À medida que mais quantidade de dados se torna disponível, mudando e evoluindo, sua plataforma de CRM opera essas informações para oferecer mensagens mais oportunas e relevantes.

Não é mais necessário depender de processos manuais para exportar e importar novos dados. O CRM fará isso por você, tornando os seus processos mais eficientes e precisos.

Sendo assim, você evitará o risco de perder informações ou ter que lidar com dados imprecisos — o sistema de CRM coleta automaticamente dados relacionados com o comportamento dos seus clientes.

Adote ferramentas de acompanhamento e análise de resultados

Você deve utilizar o Business Intelligence (BI) se desejar ter à disposição ferramentas para gerenciar os seus resultados de negócios e embasar o processo de tomada de decisões. Com uma solução de BI, sua empresa poderá:

integrar dados de múltiplas fontes;
visualizar facilmente os processos, as finanças e qualquer outra área que julgar relevante;
acessar dados de negócios de forma rápida e eficiente;
aumentar o volume de usuários que necessitam acessar informações e dispor de recursos analíticos;
atualizar aplicações automaticamente, tornando possível manter a eficiência com a equipe reduzida.

Quer garantir a eficiência e melhores resultados? Conheça também 6 erros de gestão empresarial para evitar.